Escolha uma Página

Um chatbot de sucesso é aquele que consegue ter relevância para seus usuários, ou seja, ele atende as expectativas e necessidades dos clientes.

 

Um chatbot deve ter um propósito. Quando um chatbot é uma solução adequada para os usuários e objetivos da empresa, uma implementação bem-sucedida traz benefícios como:

  • Aumento da afinidade e lealdade da marca
  • Voz e personalidade de marca reforçada
  • Diferenciação da concorrência
  • Maiores momentos de engajamento e interação
  • Taxas de conversão mais elevadas
  • Suporte ao cliente inteligente e direcionado

 

Eles também são uma fonte surpreendente de dados para entender melhor os usuários. Além de análises simples, como horários de visitas, cliques e pontos de abandono, os chatbots podem coletar dados sobre linguagem, sentimento e necessidades dos usuários, ou solicitar feedback direto durante as sessões de bate-papo. Essa inteligência pode gerar idéias para conteúdo ou serviços, descobrir frustrações ou identificar oportunidades para construir um melhor chatbot.

 

Objetivo e Planejamento de um chatbot

 

Com tantas opções de criação e acesso aberto a plataformas de AI com códigos, modelos e instruções, pode ser tentador entrar diretamente no desenvolvimento. O ideal é planejar e conversar com empresas que já tenham expertise na criação de chatbots como a Chatbot Maker. Use estas etapas para planejar o projeto do chatbot e evitar conversas sem sentido.

 

  1. Defina o propósito e a estratégia

 

Seja qual for o seu serviço é necessário que haja uma razão defensável para ter um chatbot. Responda estas perguntas para ajudar a articular o propósito e o raciocínio do chatbot para investir na sua criação.

  • Quem é o público?
  • O que eles querem?
  • Qual serviço o chatbot fornecerá? Que problema resolverá ou tarefa comum pode tornar mais fácil ou mais rápido?
  • Como o chatbot proporcionará valor aos usuários? O que o tornará útil?
  • Como o chatbot se alinha com nossos negócios ou objetivos de marketing?
  • Este é o modelo de serviço ao cliente adequado para nossa empresa e marca?

 

  1. Descreva o escopo

 

Depois de identificar as funcionalidades que o chatbot deve cumprir, descreva os detalhes de suas capacidades específicas. Nem todas as tarefas ou experiências transferem-se bem para uma interação com chatbot. Defina o que ele fará e o que não fará.

Por exemplo, o chatbot usará um caminho direto codificado ou será um mecanismo de decisão dinâmico e inteligente? Você realmente precisa implementar um chatbot sofisticado que pode investigar questões de clientes ou um modelo linear simples funcionará em vez disso?

Conselho: comece simples. Crie o que é necessário para atender às necessidades dos usuários e não o arquitete demais. Concentre-se no chatbot fazendo uma coisa muito bem e depois adicione recursos complementares mais tarde. Veja o que está ou não está funcionando antes de adicionar complexidade que pode diminuir o que poderia ter sido uma solução simples e satisfatória.

 

  1. Defina o sucesso

 

Depois de implementar o chatbot, como a equipe saberá se é um sucesso? Estabeleça métricas mensuráveis ​​para mostrar os resultados. As métricas devem se relacionar com a estratégia e dependerão do serviço que o chatbot está fornecendo. (por exemplo, reduzindo as chamadas de atendimento ao cliente. Aumentando o tráfego para a página. Melhorando o tempo de eficiência do usuário para encontrar um determinado produto.)

Coloque o chatbot para trabalhar, reunindo métricas também com perguntas de feedback direto. Pergunte aos usuários sobre precisão e utilidade, “Isso é o que você está procurando? Eu consegui resolver o seu problema? “  E se a resposta não for positiva, certifique-se de que seu chatbot tenha uma boa resposta.

 

  1. Identificar desencadeadores e cenários

 

Como o chatbot se integrará com – e não interromperá – a experiência do usuário? Descreva as ações de gatilho e os pontos de entrada em que os usuários encontrarão o chatbot. O que o usuário fez ou viu e o que ele/ela quer fazer que o chatbot possa ajudar? Escreva os cenários para suas personas e planeje as interações variadas que o chatbot precisará suportar. Se um usuário é um visitante pela primeira vez, retornar a uma transação ou chegar depois de clicar em um anúncio ou link de outro site pode alterar o envolvimento inicial do chatbot e o fluxo de conversas. (Esses cenários também são úteis mais tarde para testar scripts de conversas)

 

  1. Crie uma personalidade para o chatbot que reflita a imagem da empresa

 

Embora não seja necessária uma persona, criar uma pode tornar as interações de planejamento e as respostas de script mais fáceis. O chatbot deve ter uma personalidade apropriada para a empresa ou os usuários com os quais ele irá interagir. Seja criativo, mas use os guias de branding da empresa para dar voz e tom dentro da escrita conversacional. Uma personalidade pode ajudar os escritores a determinar as palavras e sintaxe corretas e trazer consistência aos diálogos para que o chatbot não tenha múltiplas personalidades.

 

Quero um chatbot