Clean code é simples como o seu nome

por | maio 12, 2020 | Negócios

Clean code é uma filosofia de desenvolvimento que incentiva a escrita de códigos mais legíveis, de melhor compreensão para facilitar a organização e a manutenção dos mesmos. 

 

Todo desenvolvedor sabe que criar algo é até simples, mas dar manutenção é outra história. 

 

Aprender a ser simples não é fácil. Pelo contrário, é uma tarefa árdua. A ideia é que você consiga criar algo simples que seja fácil de se editar e, ao se editar, se mantenha simples.

 

Como escreveu Robert C. Martin, em seu livro: “Clean Code: A Handbook of Agile Software Craftsmanship:

 

“ Aprender a criar códigos limpos é uma tarefa árdua e requer mais do que o simples conhecimento dos princípios e padrões. Você deve suar a camisa; praticar sozinho e ver que cometeu erros; assistir os outros praticarem e errarem; vê-los tropeçar e refazer seus passos; Vê-los agonizar para tomar decisões e o preço que pagarão por as terem tomado da maneira errada. ”

E o que é o clean code na prática?

 

Como falei, o principal objetivo é aplicar técnicas simples que visam facilitar a escrita e leitura de um código.

 

Usar nomes que expressam completamente o significado das variáveis e funções (não ter medo de nomes grandes), diminuir a complexidade dos códigos, quebrar grandes funções em outra menores que fazem só uma tarefa, usar padrões conhecidos, eliminar código duplicado…

 

Essas são alguns exemplos de pequenas atitudes “clean-code”. Elas visam criar códigos com maior qualidade, aumentando consideravelmente a produtividade do desenvolvedor que trabalha nele.

 

(im)produtividade do programador ∝ Qualidade do Código

 

A produtividade de um programador está diretamente ligada a qualidade do código em que ele trabalha. Por isso, realizar a manutenção de um software é bem mais complicado do que desenvolver um do início. E geralmente isso se deve a códigos ruins, difíceis de se ler e cheios de “armadilhas”.

 

E isso é tão comum que, Robert C. Martin, mencionado lá em cima, chega a afirmar que a proporção de leitura para escrita do código é de 10:1. Os programadores passam a maior parte do tempo lendo e entendo o código do que programando, e isso é um problema.

 

Não que ler, em si, seja um problema.Constantemente lemos um código antigo quando estamos criando um novo. É natural gastarmos tempo lendo, é preciso que se leia e revise constantemente o código, procurando ajustes e erros. Isso é natural para o dia a dia de um programador.

 

O problema surge quando passamos tanto tempo lendo e, mesmo assim, mal sabemos o que está acontecendo, precisando reler e reler várias vezes para compreender o código.

 

Fazer o computador entender um código é simples, qualquer programador consegue. O bom programador sabe escrever um código que um humano entende.

 

E justamente por isso, escrever um código que facilite a leitura é de suma importância. Se você quiser ser um programador melhor e mais produtivo, não há como escapar, comece escrevendo um código mais limpo

 

Karma Bad Code is a bitch. E a culpa é nossa!

 

Aqui vou parafraseando o livro que já citei lá em cima: Karma Bad Code is a bitch. E a culpa é nossa! A gente tem aquela mania de culpar o servidor, a linguagem, o gerente, o marketing, e um montante de gente por uma coisa que é responsabilidade nossa: A qualidade do código.

 

“Os gerentes e marqueteiros buscam em nós programadores as informações que precisam para fazer promessas e firmarem compromissos. Os usuários esperam que façamos acontecer os requisitos do sistema. Nossa cumplicidade no planejamento do projeto é tamanha que compartilhamos uma grande parcela da responsabilidade em caso de falhas; especialmente se estas forem em relação a um código ruim.”

A maioria daquele montante de gente nos cobra com ferocidade; cronograma apertados, requisitos que mudam a toda hora, cobrança, sobrecarga e estresse são, infelizmente, comuns. “Vou fazer funcionar o básico, depois melhoro o resto…” pensamos. Mas sabemos muito bem que não, não vamos voltar para melhorar, e quando alguém for voltar, não vai entender absolutamente nada da gambiarra que a gente fez para fazer funcionar.

 

Proteja o código com a mesma ferocidade que é cobrado. Se todos esperam de você um bom código, seja bastante claro sobre as suas necessidades para que assim seja.

 

E por que isso é de suma importância principalmente para nós, startups?

 

Simples: mudanças. Muitas mudanças! A todo momento temos novas funcionalidades, novos produtos, melhorias que devem ser acrescentadas e isso tudo tem que ser feito em tempo recorde. O que é impossível sem o mínimo de organização nos processos e no código.

 

Ter um código que seja auto explicativo libera a nossa cabeça pra pensar no que é realmente importante.

 

Conforme nós utilizamos as práticas do Clean Code, nós produzimos ou ampliamos nossa “sensibilidade ao código”. Este termo se refere à capacidade de visualizar um código mal escrito e imediatamente pensar em diferentes formas de limpá-lo.

 

Para melhorar a escrita e saber boas práticas de clean-code vou deixar aqui um link para sua leitura: 

Clean-code: Boas práticas